Mapeamento do ensino do português na educação superior no Mercosul

José Genival Bezerra Ferreira

Resumo


O artigo objetivou mapear o ensino do Português Língua Estrangeira (PLE) nas universidades públicas e particulares nos países fundadores do Mercado Comum do Sul - Mercosul (Argentina, Paraguai e Uruguai). Para tanto, investigamos todos os websites das universidades do Bloco, realizamos revisão bibliográfica e documental (leis e estatutos universitários), identificamos as graduações que ofertam a Língua Portuguesa (LP), bem como analisamos a grade curricular de cursos a fim de conhecer a carga horaria letiva dedicada a esse idioma. Constatamos que num total de 161 universidades, apenas  43 lecionam o idioma português numa graduação específica ou como unidade curricular, também nos certificamos que o país que tem mais se empenhado na difusão do ensino da LP é a Argentina, ainda que timidamente,  e a maioria das graduações que ofertam o português são da área econômica, turística e jornalística.


Texto Completo:

PDF

Referências


Angelucci, T. C., & Pozzo, M. I. (2018). O idioma português na universidade pública Argentina: modalidades e tendências. Afluente: Revista de Letras e Linguística, 3(9), 8-27.

Aneaes. Agencia Nacional de Evaluación y Acreditación de la Educación Superior. Ministerio de Educación y Ciencias. Disponível em: http://www.aneaes.gov.py/v2/carreras-acreditadas/en-el-modelo-nacional-vigentes

Argentina. Ley 26.468. 2009. Disponível em: https://www.argentina.gob.ar/normativa/nacional/ley-26468-149451

Arnoux, E. Jornal Página12, Argentina. Disponível em: http://www.pagina12.com.ar/diario/dialogos/21-203013-2012-09-10.html Acesso em: 28 de dezembro de 2019.

Arnoux, E., & Bein, R. (2015). Hacia una historización de las políticas de enseñanza de lenguas”. In: Arnoux, e., Bein, R. (Orgs.) Política lingüística y enseñanza de lenguas. Buenos Aires: Biblos, 13-50

Bein, R. (2013). La legislación sobre lenguas y su cumplimiento. Abehache, 3 (4) 1° semestre, San Pablo: Asociación Brasileña de Hispanistas.

Bezerra Ferreira, J. G. (2020). Cenário da língua portuguesa no Mercosul: o caso da Argentina, do Paraguai e do Uruguai. Revista Latino-americana de Educación Comparada, 11(17), 132-147.

Blog do IILP (Instituto Internacional da Língua Portuguesa). Língua portuguesa ensinada no Uruguai. 2018. Disponível em: https://iilp.wordpress.com/2018/11/19/lingua-portuguesa-ensinada-no-uruguai/ . Acesso em: 10 de maio 2020.

Brasil. Lei do Ensino da Língua Espanhola. 2009. Disponível em: http://legislacao.planalto.gov.br/legisla/legislacao.nsf/Viw_Identificacao/lei%2011.161-2005?OpenDocument Acesso em: 09 de maio de 2020.

Brasil. Lei de Reforma do Ensino Médio. 2016. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm Acesso em: 09 de maio de 2020.

Brasil. Ministério das Relações Exteriores. Disponível em: http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/ficha-pais/5635-republica-do-paraguai . Acesso em: 09 de maio de 2020.

Calvet, L-J. (2007). As políticas linguísticas. São Paulo: Parábola Editorial.

Canteros, A. (2017). As relações Brasil-Argentina e o ensino do português. Revista Digital de Ensino de PLE na ENS Sofia Spangenberg. Disponível em: https://www.lusofia.com/single-post/n2-canteros Acesso em: 13 de dezembro de 2020.

Carvalhos, A. M. (2006). Políticas linguísticas de séculos passados nos dias de hoje: O dilema sobre a educação bilingue no norte do Uruguai. Language Problems & Language Planning. 30(2), 149-171.

CONEAU. Comisión Nacional de Evaluación y Acreditación Universitaria. Ministerio de Educación de la Nación. Argentina. Disponível em: https://www.coneau.gob.ar/buscadores/grado/ Acesso em: 28 de outubro de 2019.

Faraco, C. A., & Zilles, A. M. S. (2015). Pedagogia da variação linguística: língua, diversidade e ensino. São Paulo: Parábola Editorial.

Gil, G., & Vieira Abrahao, M. H. (2008). Educação de Professores de Línguas: os desafios do formador. Campinas: Pontes.

Gusmão, C, A. Políticas de integração entre o português e o espanhol no contexto dos países integrantes do Mercosul. Inventário, 16. Disponível em: http://www.inventario.ufba.br/16/13%20Politicas%20da%20integracao.pdf Acesso em 19 de setembro de 2020.

Lewis, M. P., Gary, F. S., & Fenning, C. D. (2014). Ethnologue: Languages of the World,

Seventeenth edition. Dallas, Texas: SIL International. Disponível em: http://www.ethnologue.com/statistics/size Acesso em 15 de agosto de 2020.

MEC. Ministerio de Educación y Cultura. Uruguai. Disponível em: https://www.gub.uy/ministerio-educacion-cultura/politicas-y-gestion/universidades-carreras-reconocidas Acesso em: 20 de outubro de 2020.

Mercosul. Tratado de Assunção. 1991. Disponível em: https://www.mercosur.int/pt-br/documento/tratado-de-assuncao-para-a-constituicao-de-um-mercado-comum/ Acesso em: 11 de janeiro de 2020.

Mercosul. Protocolo de Intenções. 1991. Disponível em: http://edu.mercosur.int/pt-BR/acordos/finish/5-acordos-acuerdos/391-protocolo-de-intencoes.html Acesso em: 15 de março de 2020.

Mercosul. Plan del Sector Educativo del Mercosur: 2006-2010. Disponível em: http://www.bnm.me.gov.ar/giga1/documentos/EL006482.pdf Acesso 15 de março de 2020.

Nascimento, M. J. (2010). Idiomas espanhol e português e a democratização da informação para o Mercosul. Informação & Sociedade: Estudos, 9 (1), 1-15.

Müller De Oliveira, G. G., & Morello, R. (2019). A fronteira como recurso: o bilinguismo português-espanhol e o Projeto Escolas Interculturais Bilíngues de Fronteira do Mercosul (2005-2016). Revista Iberoamericana de Educación, 81(1), 53-74. https://doi.org/10.35362/rie8113567

Oliveira, M. B. (2017). Política linguística, cidadania e ensino de língua portuguesa. Linguagens & Cidadania, 19(9), 1-19. https://doi.org/10.5902/1516849229314

Mozzillo, I. (2013). Aspectos do portunhol na Fronteira Brasil-Uruguai. Papia, 23(2), 187-199.

Obervatory of Economic Complexity. Disponível em: https://oec.world/pt/profile/country/arg Acesso em 03 de dezembro. de 2019.

Portal Galego da Língua. Centenas de milhares de uruguaios têm português como língua materna. Disponível em: https://pgl.gal/situacao-atual-do-portugues-do-uruguai/ . Acesso em: 10 de maio de 2020.

Romero, S. (2012). Guarani ainda é falado por 90% da população paraguaia. Disponível em: https://www.otempo.com.br/brasil/guarani-ainda-e-falado-por-90-da-populacao-paraguaia-1.321405 . Acesso em: 10 de maio de 2020.

Salgado, l., & Boschi, H. (2016). Língua, cultura e imaginários: singular e plural em conflito nos materiais didáticos de português para estrangeiros. In: Cadernos de Estudos Lingüísticos. 58 (1), 93-111.

Santos Bucco, L., & Alves Fortaleza, G. T. (2013). Os perpasses do Ensino Superior no Mercosul: ¿integración. XV Seminário Internacional de Educação do Mercosul. Cruz Alta, Rio Grande do Sul, 7 a 10 de maio de 2013.

Silva, I, Dacrote, M. (2016). Uma experiência compartida: português como língua estrangeira dentro do contexto linguístico cultural e social brasileiro. Revista internacional de audición y lenguaje, logopedia, apoyo a la integración y multiculturalidad, 2(2), 31-41.

Silveira, Z. S. (2016). Setor educacional do Mercosul: convergência e integração regional da educação superior brasileira. Avaliação, 21(3), 901-927. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-40772016000300012

Sousa, F. P. (1998). O balanço da ação sindical nos processos de integração regional. Vigevani, Tullo; LORENZETTI, Jorge (Coords.). Globalização e integração regional: atitudes sindicais e impactos sociais. São Paulo: LTr/ Cedec.

Spolsky, B. (2005). Language Policy. Proceedings of the 4th International Symposium on Bilingualism. Somerville, Massachusetts: Cascadilla Press. Disponível em: http://www.lingref.com/isb/4/168ISB4.PDF Acesso em: 15 de junho de 2020.

Teles, A., Fidalgo, D., & Ribeiro, D. (2019). A Língua Portuguesa no Ensino Superior dos países membros da EU. 2019. 89 f. Aveiro. Trabalho de conclusão de Licenciatura (Secretariado e Comunicação). Universidade de Aveiro, Aveiro, 2019.

Varela, L. (1999). Mi nombre es nadie. Política lingüística del Estado Argentino. Actas del Congreso Internacional sobre Políticas Lingüísticas para América Latina. Buenos Aires: Instituto de Linguística/UBA, 583-590.

Weber, A. (2016). Política de línguas e fronteiras no Mercosul: novos sentidos para o espanhol, o português e o guarani. Veredas Atemática, 20(2), 201-218.




DOI: https://doi.org/10.25757/invep.v11i1.231

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2021 Da Investigação às Práticas: Estudos de Natureza Educacional

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

       

                                                                                                                                                     2182-1372