O género gramatical no nome: dos documentos normativos aos manuais escolares de português do 1.º CEB

Ana Sofia Lopes, Celda Morgado

Resumo


O género, como formalismo da língua e marca de concordância, existe somente em línguas que possuem concordância nominal, como o Português Europeu (PE). Esta categoria, no PE, corresponde a uma propriedade inerente aos nomes e são múltiplos os processos fonológicos, morfológicos e sintáticos subjacentes à variação em género nos nomes. Neste estudo exploratório pretendeu-se averiguar como é preconizado o tratamento categoria nominal supracitada nos documentos reguladores de Ensino do Português no 1.º Ciclo do Ensino Básico (CEB) e investigar como é apresentado cientificamente e proposto pedagogicamente em manuais escolares dos 1.º ao 4.º anos.

Texto Completo:

PDF HTML

Referências


Baptista, A. et al. (2013a). Conhecimentos implícitos e explícitos de género linguístico e suas implicações no ensino. In M. Teixeira et al. (Orgs.), Ensinar e Aprender Português num Mundo Plural. Santarém: Escola Superior de Educação.

Baptista, A. et al. (2013b). Representação e Aquisição do Género Linguístico em PE: alguns contributos a partir da análise de materiais pedagógicos. In Atas do IV Simpósio Mundial de Ensino da Língua Portuguesa. Língua Portuguesa: ultrapassando fronteiras, unindo culturas. Goiânia: Faculdade Letras da Universidade Federal de Goiás.

Bechara, E. (2003). Moderna Gramática Portuguesa. Rio de Janeiro: Lucerna.

Brito, A. M. (2003). Categorias sintácticas. In M. H. Mateus et al. (Aut.), Gramática da Língua Portuguesa (323-432). Lisboa: Editorial Caminho.

Buescu, H. et al. (2015). Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Básico. Portugal: Ministério da Educação e Ciência. Disponível em https://www.

dge.mec.pt/sites/default/files/Basico/Metas/Portugues/pmcpeb_julho_2015.pdf

Costa, J. A. & Choupina, C. (2011). A história e as histórias do género em português: percursos diacrónicos, sincrónicos e pedagógicos. Coimbra: Escola Superior de Educação.

Costa, J. A. et al. (2015). Género gramatical: a complexidade do conteúdo e a sua abordagem nos documentos reguladores do ensino do Português no 1ºCiclo EB. Exedra: Revista Científica. Didática do Português. Investigação e práticas, número temático, 1, 321-352.

Cunha, C. & Cintra, L. (1984). Nova Gramática do Português Contemporâneo. Lisboa: Edições João Sá Costa.

Dicionário Terminológico (2008). Acedido a 25 de julho de 2017 e disponível em http://dt.dgidc.min-edu.pt/.

Duarte, I. (2000). Língua Portuguesa - Instrumentos de análise. Lisboa: Universidade Aberta.

Duarte, I. & Oliveira, F. (2003). Referência nominal. In M. H. Mateus et al. (Aut.), Gramática da Língua Portuguesa (205-272). Lisboa: Editorial Caminho.

Estrela, E., Soares, M. A. & Leitão, M. J. (2004). Saber escrever, saber falar – Um guia completo para usar corretamente a Língua Portuguesa. Lisboa: Círculo de Leitores.

Figueira, R. A. (2004). A criança na língua: marcas de subjetivação na aquisição do gênero. Letras de Hoje, 39 (3), 61-74.

Lopes, A. S., Choupina, C. & Monteiro, S. (2017). A formação do professor de 1.º CEB: como articular conteúdos de Português e de Estudo do Meio?. In. L. G. Correia, R. Leão & S. Poças (Orgs.), O Tempo dos Professores (499-513). Porto: CIIE - Centro de Investigação e Intervenção Educativas/Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto.

Villalva, A. (2000). Estruturas Morfológicas: Unidades e hierarquias nas palavras do português. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Villalva, A. (2003). “Estrutura Morfológica Básica” in Maria Helena Mira Mateus et al. (Orgs.), Gramática da Língua Portuguesa. Lisboa: Caminho. 917-938.

Villalva, A. (2008). Morfologia do Português. Lisboa: Universidade Aberta.




DOI: https://doi.org/10.25757/invep.v10i1.201

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2020 Da Investigação às Práticas: Estudos de Natureza Educacional

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.