Um caso multimédia na formação inicial: contributos para o conhecimento sobre o ensino exploratório da Matemática

Ana Paula Canavarro

Resumo


Este artigo tem como foco o uso de casos multimédia na formação inicial de professores e procura analisar o seu contributo para o desenvolvimento do conhecimento didático de futuras professoras acerca do ensino exploratório da Matemática, bem como apreciar as suas perspetivas sobre as mais-valias do caso multimédia utilizado como recurso formativo. Analisam-se questionários e relatórios de treze alunas do Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1.º Ciclo da Universidade de Évora, que trabalharam sobre um caso multimédia que retrata a prática de ensino de uma professora de 1º ciclo. O caso inclui recursos diversificados, sendo os vídeos de sala de aula complementados com o plano da aula, as resoluções da tarefa pelos alunos, as reflexões da professora sobre a sua prática, um quadro de referência sobre o ensino exploratório da Matemática e artigos teóricos sobre ensino de natureza exploratória da Matemática. As alunas em formação apreciaram conhecer e explorar o caso multimédia, ressaltando a possibilidade de através dele conhecerem uma nova prática real de ensino da Matemática; sublinharam a importância de ouvirem as reflexões da professora para dotar de sentido a respetiva prática, revelando as intenções das suas ações; aprenderam também conhecimentos relevantes para pôr em prática o ensino exploratório, nomeadamente relativos ao conhecimento do processo instrucional, tanto no diz respeito à planificação, como à condução da aula.

Texto Completo:

PDF

Referências


Alsawaie, O. N. & Alghazo, I. M. (2010). The effect of videobased approach on prospective teachers' ability to analyze mathematics teaching. Journal of Mathematics Teacher Education, 13(3), 223-241.

Anghileri, J. (2006). Scaffolding practices that enhance mathematics learning. Journal of Mathematics Teacher Education, 9, 33–52.

APM (1998). Matemática 2001: Diagnóstico e recomendações para o ensino e aprendizagem da Matemática. Lisboa: APM.

Ball, D. & Bass, H. (2003). Making Mathematics reasonable in school. In J. Kilpatrick, W. Martin & D. Schifter (Eds.), A research companion to Principles and Standards for School Mathematics (pp. 27-44). Reston, Va: National Council of Teachers of Mathematics.

Ball, D., Lubienski, S. & Mewborn, D. (2001). Research on teaching mathematics: The unsolved problem of teachers’ mathematical knowledge. In V. Richardson (Ed.). Handbook of research on teaching (pp. 433-456). Washington: AERA.

Boavida, A. (2005). A argumentação em Matemática: Investigando o trabalho de duas professoras em contexto de colaboração. Lisboa: APM.

Boavida, A., Paiva, A. L., Cebola, G., Vale, I. & Pimentel, T. (2008). A experiência matemática no ensino básico. Lisboa: Ministério da Educação, Direção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular.

Brown, S. & McIntyre, D. (1993). Making sense of teaching. Buckingham: Open University Press.

Brunvand, S. (2010). Best practices for producing video content for teacher education. Contemporary Issues in Technology and Teacher Education, 10(2), 247-256.

Canavarro, A. P. (2003). Práticas de ensino da Matemática: Duas professoras, dois currículos (Tese de doutoramento, Universidade de Lisboa). Lisboa: APM.

Canavarro, A. P., Oliveira, H. & Menezes, L. (2012). Práticas de ensino exploratório da Matemática: O caso de Célia. In A. P. Canavarro, L. Santos, A. Boavida, H. Oliveira, L. Menezes & S. Carreira (Eds.), Investigação em Educação Matemática – Práticas de ensino da Matemática: Atas do EIEM2012 (pp. 255-266). Vila Viçosa: SPIEM.

Canavarro, A. P. (2008). Raciocínio matemático: Uma questão de confiança. Educação e Matemática, 100, pp. 34-36.

Canavarro, A. P. (2011). Ensino exploratório da Matemática: Práticas e desafios. Educação e Matemática, 115, 11-17.

Canavarro, A. P., & Santos, L. (2012). Explorar tarefas matemáticas. In A. P. Canavarro, L. Santos, A. Boavida, H. Oliveira, L. Menezes & S. Carreira (Eds.), Investigação em Educação Matemática – Práticas de ensino da Matemática: Atas do EIEM2012, 99-104.

Canavarro, A. P. & Santos, L. (2012). Explorar tarefas matemáticas. In A. P. Canavarro, L. Santos, A. Boavida, H. Oliveira, L. Menezes & S. Carreira (Eds.), Investigação em Educação Matemática – Práticas de ensino da Matemática: Atas do EIEM2012 (pp. 99-104). Vila Viçosa: SPIEM.

DEB (2001). Currículo Nacional do Ensino Básico, Competências essenciais. Lisboa: DEB/ME.

Franke, K. L., Kazemi, E. & Battey, D. (2007). Mathematics teaching and classroom practice. In F. K. Lester (Ed.), Second handbook of research on mathematics teaching and learning (pp. 225-356). Charlotte, NC: Information Age Publishing.

Kersting, N. B., Givvin, K. B., Thompson, B. J., Santagata, R. & Stigler, J. W. (2012). Measuring usable knowledge: Teachers' analyses of mathematics classroom videos predict teaching quality and student learning. American Educational Research Journal, 49, 568-589.

Koc, Y., Peker, D. & Osmanoglu, A. (2009). Supporting teacher professional development through online video case study discussions: An assemblage of preservice and inservice teachers and the case teacher. Teacher and Teacher Education, 25, 1158-1168.

Llinares, S. & Valls, J. (2009). The building of presservice primary teachers’ knowledge of mathematics teaching: Interaction and online video case studies. Instructional Science, 37, 247–271.

MacGraw, R., Lynch, K., Koc, Y., Budak, A. & Brown, C. (2007). The multimedia case as a tool for professional development: An analysis of online and face-to-face interaction among mathematics presservice teachers, in-service teachers, mathematicians, and mathematics teacher educators. Journal of Mathematics Teacher Education, 10, 95-121.

Ministério da Educação (2007). Programa de Matemática do Ensino Básico. Lisboa: Ministério da Educação: Direção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular.

Moss, J., Beaty, R., McNab, S. L. & Eisenband, J. (2005). The potential of geometric sequences to foster young students’ ability to generalize in Mathematics. http://www.brookings.edu/gs/brown/algebraicreasoning.htm

National Council of Teachers of Mathematics (1994). Normas profissionais para o ensino da matemática. Reston, VA: NCTM.

National Council of Teachers of Mathematics (2000). Principles and standards for school mathematics. Lisboa: IIE, APM.

National Council of Teachers of Mathematics (2003). J. Kilpatrick, W. Martin, & D. Schifter (Eds.), A research companion to Principles and Standards for School Mathematics. Reston, Va: National Council of Teachers of Mathematics.

Oliveira, H., Menezes, L. & Canavarro, A. P. (2012). The use of classroom videos as a context for research on teachers' practice and teacher education. In Pre-Proceedings of 12th International Congress on Mathematical Education, Seoul, Korea (pp.4280-4289).

Pacheco, J. A. (1996). Currículo: Teoria e praxis. Porto: Porto Editora.

Ponte, J. P. (2001). A investigação sobre o professor de Matemática: Problemas e perspetivas. Educação Matemática em Revista, 11, 10-13.

Ponte, J. P. (2005). Gestão curricular em Matemática. In GTI (Ed.), O professor e o desenvolvimento curricular (pp. 11-34). Lisboa: APM.

Ponte, J. P., Oliveira, O., Canavarro, A. P. et al. (2012). Práticas profissionais dos professores de Matemática: O projeto P3M. In H. Pinto, H. Jacinto, A. Henriques, A. Silvestre& C. Nunes (Orgs.), Atas do XXIII Seminário de Investigação em Educação Matemática (p. 777). Lisboa: APM.

Ruthven, K., Hofmann, R. & Mercer, N. (2011). A dialogic approach to plenary problems synthesis. In B. Ubus (Ed.), Proc. 35th Conf. of the Int. Group for the Psychology of Mathematics Education (Vol. 4, pp. 81-88). Ankara, Turkey: PME.

Santagata, R. & Guarino, J. (2011). Using video to teach future teachers to learn from teaching. ZDM Mathematics Education, 43, 133–145.

Shulman, L. (1986). Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher, 15(2), 4-14.

Sowder, J. T. (2007). The mathematical education and development of teachers. In F. Lester (Ed.), Second handbook of research on mathematics teaching and learning (pp. 157-223). Charlotte, NC: Information Age Publishing.

Stein, M. K. & Smith, M. S. (1998). Mathematical tasks as a framework for reflection: From research to practice. Mathematics Teaching in the Middle School, 3, 268–275.

Stein, M. K., Engle, R. A., Smith, M. S. & Hughes, E. K. (2008). Orchestrating productive mathematical discussions: Helping teachers learn to better incorporate student thinking. Mathematical Thinking and Learning, 10(4), 313-340.

van Es, E. A. & Sherin, M. G. (2008). Mathematics teachers learning to notice in the context of a video club. Teacher and Teacher Education, 24, 244–276.

Wilson, H., Sztajn, P., Edgington, C., Myers, M. & Decuir-Gunby, J. (2013). Learning trajectories and student-centered teaching practices. In A. M. Lindmeier & A. Heinze (Eds.), Proceedings of the 37th Conference of the International Group for the Psychology of Mathematics Education (Vol. 4, pp. 409-416.) Kiel, Germany: PME.

Yackel, E. & Cobb, P. (1996). Sociomathematical norms, argumentation, and autonomy in mathematics. Journal for Research in Mathematics Education, 27, 458-477.




DOI: https://doi.org/10.25757/invep.v3i2.36

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c)