O ensino da gramática: paradigmas e desafios

Rui Tavares de Faria

Resumo


O ensino do Português tem sido alvo de mudanças didático-pedagógicas, nas duas últimas décadas. A atualização dos Programas, a reestruturação das práticas letivas e as frequentes reformulações no âmbito da avaliação da disciplina de Português poderão indiciar que ainda não foi delineado o melhor ensino-aprendizagem de uma unidade curricular fulcral, como é a língua portuguesa. Por conseguinte, o ensino da gramática vai passando por abordagens diversificadas: ora em contexto, a partir das fontes literárias que predominam nos manuais escolares ou ao serviço do desenvolvimento do domínio da escrita, ora fora de qualquer contexto, segundo metodologias de aprendizagem normativas e tradicionais, para dotar os alunos de um saber linguístico geral que deverá auxiliá-los no desenvolvimento das diferentes competências por que se pauta o ensino-aprendizagem do Português. Que paradigma (ou paradigmas) do ensino da gramática se tem revelado mais eficaz no devido reconhecimento das estruturas gramaticais da língua portuguesa? Que vantagens oferece cada um destes paradigmas? Que desafios se colocam aos professores, aos alunos e aos falantes em geral? É necessário reestruturar o sistema de ensino? É necessário reestruturar o sistema de ensino? O ciclo de aprendizagens? O plano curricular?


Texto Completo:

PDF

Referências


Amor, E. (1993). Didática do Português. Fundamentos e Metodologia. Lisboa: Texto Editora.

Batstone, R. (1994). Grammar. Oxford: Oxford University Press.

Brito, A. M. (Org.) (2010). Gramática: História, Teorias, Aplicações. Porto: Universidade do Porto.

Buescu, H. C., Morais, J., Rocha, M.R. & Magalhães, V.F. (2014). Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário. Lisboa: Ministério da Educação e Ciência.

Catarino, A., Felicíssimo, A., Castiajo, I. & Peixoto, M. J. (2016). Sentidos 11. Lisboa: ASA.

Castanheira, M. T. (Coord.) (2017). Relatório Nacional 2010-2016, Exames Finais Nacionais. Ensino Secundário. Lisboa: I.A.V.E.

Costa, A. L. (2010). Estruturas Contrastivas: Desenvolvimento do Conhecimento Explícito e da Competência da Escrita. Tese de Doutoramento. Lisboa: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Faria, R. T. (2020). Princípios Fundamentais da Sintaxe da Língua Portuguesa. Lisboa: DG Edições.

Ferreira, M. A. T. (2016). O papel da gramática no ensino de línguas baseado em tarefas. Relatório de Mestrado. Porto: Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Fontes, C. (2002). “Reformas do PS – 1996-2002”, in Navegando na Educação, filorbis.pt/educar/reformas.htm [consultado a 19-11-2020].

Jorge, N., Aguiar, C. & Magalhães, M. (2020), Encontros. Português. 12.º ano. Porto: Porto Editora.

Kohonen, V. (1992). Experiential language learning: second language learning as cooperative learner education. In D. Nunan (ed.), Collaborative Language Learning and Teaching. Cambridge: Cambridge University Press, pp. 37-56.

Lopes, A. J. L. (2005). “A gramática: como ensiná-la”, in Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/artigos/rubricas/ensino/a-gramatica-como-ensina-la/1816 [consultado a 24-10-2020].

Nunes, M. C. T. (2012). Ensino da Gramática – uma aprendizagem de Qualidade: abordagens das funções sintáticas. Tese de Mestrado. Coimbra: Escola Superior da Educação de Coimbra.

O’Malley, J. M. & Chamot, A. (1990). Learning strategies in second language acquisition. Cambridge: Cambridge University Press.

Pais, A. (2016). “O ensino da gramática nos primeiros anos de escolaridade”, in F. Azevedo, M. G. Sardinha, P. Osório (Coord.), Elementos da Didática da Língua e da Literatura em Contexto Pedagógico, Braga: C.I.E.C./I.E., 59-90.

Seixo, M. A. (2006), “A TLEBS e a educação”, in Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/artigos/rubricas/controversias/a-tlebs-e-a-educacao/411 [consultado a 16-02-2021].

Silva, A. C. (2016). “A configuração do ensino da gramática nos novos manuais de Português do 9.º ano”, Diacrítica, vol. 30, n. 1, 83-112.

Vieira, P. M. F. P. (2010). Da 1.ª à 2.ª Versão da TLEBS. Análise comparativa das duas versões da TLEBS nas áreas da Semântica e da Análise do Discurso, Retórica, Pragmática e Linguística Textual. Dissertação de Mestrado em Estudos Portugueses Multidisciplinares. Lisboa: Universidade Aberta.

Xavier, L. G. (2012). “Ensinar gramática pela abordagem ativa de descoberta”, Exedra: número temático (dezembro): 467-477.

Xavier, L. G. (2013). “Ensinar e aprender gramática: algumas abordagens possíveis”, Exedra n.º 7: 139-148.




DOI: https://doi.org/10.25757/invep.v11i1.236

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2021 Da Investigação às Práticas: Estudos de Natureza Educacional

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

       

                                                                                                                                                     2182-1372