O percurso dos estudos tandem sobre o comportamento interativo e comunicativo de pais e educadores em tarefas colaborativas

Autores

  • Bruno Veiga Escola Superior de Educação de Lisboa
  • Isabel Fernandes Escola Superior de Educação de Lisboa
  • Otília Sousa Escola Superior de Educação de Lisboa Instituto de Educação de Lisboa http://orcid.org/0000-0001-7755-2418
  • Marina Fuertes Escola Superior de Educação de Lisboa Un iversidade do Porto, Centro de Psiclogia http://orcid.org/0000-0001-7061-5092

DOI:

https://doi.org/10.25757/invep.v9i2.184

Resumo

O presente artigo apresenta uma revisão dos estudos Tandem nacionais acerca da qualidade da interação e da comunicação de pais e educadores em atividades colaborativas com a criança em idade pré-escolar. Para o efeito, os resultados de todos os artigos publicados são organizados pelas seguintes áreas: autoria do produto; tipo de produto realizado; componentes, materiais e ferramentas usadas na realização do produto; qualidade interativa; comunicação verbal; fatores ligados à criança e fatores ligados ao adulto. Os dados ainda, exploratórios pela dimensão reduzida das amostras, indicam sobretudo que a forma como os Pais atuam é distinta dos Educadores. Igualmente, são encontradas diferenças de género, na medida em que são proporcionadas às meninas e aos meninos distintas oportunidades na realização das tarefas. O corpo de conhecimento acumulado permite compreender como a comunicação facilita e desencadeia a interrogação e a reflexão da criança, e de que forma a qualidade da interação a motiva para participar nesse espaço.

Palavras-chave: Tarefas Colaborativas, Interação, Comunicação, Pais, Educadores

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Afonso, A. B. (2000) Valores da interrogação. Viana do Castelo: Centro Cultural do Alto Minho.

Argyle, M. (1991). Cooperation: The basis of sociability. Routledge: London.

Asoulin, E. (2016). Language as an instrument of thought. Glossa: A Journal of General Linguistics, 1(1), 46, 1-23. DOI: http://doi.org/10.5334/gjgl.34

Barroso, I. Ferreira, A., Fernandes, I., Branco, M., Ladeiras, A., Pinto, F., Veloso, C., Brandes, H., Sousa, O. & Fuertes, M. (2017). Estudo sobre as diferenças interativas e comunicativas das educadoras e das mães com crianças em idade pré-escolar. Revista Da Investigação às Práticas: Estudos Educacionais, 1, 41-62. doi.org/10.25757

/invep.v7i1.117.

Brandes, H., Andra, M., Roseler, W. & Schneider-Andrich, P. (2015). Does gender make a difference? Results from the German “tandem study” on the pedagogical activity of female and male ECE workers. European Early Childhood Education Research Journal. 23(3), 315-327. doi: 10.1080/1350293X.2015.1043806.

Brown, G., McBride, B. Shin, N. & Bost, K (2007). Parenting predictors of father-child attachment security: Interactive effects of father involvement and fathering quality. Fathering. 5(3), 197–219.

Bruner, J. S. (1996). The Culture of Education. Cambridge: Mass: Harvard University Press.

Campos, M. H. (1998). Dever e Poder: um subsistema modal do português. Lisboa: Fundação C. Gulbenkian/JNICT.

Chi, M. T. (2009). Active-constructive-interactive: a conceptual framework for differentiating learning activities. Topics in Cognitive Science, 1(1):73-105. doi:1756-8765.2008.01005.x.

Culioli, A. (1990). Pour une Linguistique de l’Énonciation (I). Paris: Ophrys.

Dewey, J. (2007). Democracia e Educação. Lisboa: Plátano Editora.

Farinha, S. & Fuertes, M. (2018). Quando sou mãe e quando sou educadora! Comparando Mães e Educadoras (com os seus filhos ou com outras crianças) numa tarefa colaborativa com a criança. Da Investigação às Práticas: Estudos Educacionais, 8, 2. 47-74. doi.org/10.25757/invep.v8i2.151

Fernandes, I., Fuertes, M., Ferreira, A., Barroso, I., Branco, M., Ladeiras, A., Pinto, F., Sousa, T., Veloso, C., Brandes, H., & Sousa, O. (2018). Estudo comparativo acerca do comportamento e comunicação materna e paterna em atividade conjunta com os seus filhos de idade pré-escolar. (indexada à Scielo). Submetido à Analise Psicológica, 36, (3), 295–310. doi:10.14417/ap.1240

Ferreira, A., Barroso, I., Fernandes, I., Branco, M., Ladeiras, A., Pinto, F., Sousa, T., Veloso, C., Brandes, H., Sousa, O. & Fuertes, M. (2016). Estudo sobre as diferenças interativas e comunicativas de educadores e educadoras com crianças em idade em pré-escolar. Revista Educação: Da Investigação às Práticas, 2, 79-100. doi.org/10.25757/invep.v6i2.102

Fuertes, M. Castro, S., Faria, A., Alves, M., Osório, T. & Sousa, O. (2017). Interação e comunicação dos pais com crianças de 15 meses. Psicologia USP, São Paulo, 28 (3), 346-357 doi:10.1590/0103-656420160154

Fuertes, M., Ferreira, A., Ladeiras, A., Veloso, C., Barroso, I., Fernandes, I., Pinto, F., Branco, M. & Sousa, O. (2017). Participação e envolvimento da criança numa tarefa de construção com educadoras e educadores. In Veiga, F. H. (Coord.) Envolvimento dos Alunos na Escola: Perspetivas da Psicologia e Educação - Motivação para o Desempenho Académico / Students´ Engagement in School: Perspectives of Psychology and Education - Motivation for Academic Performance. (pp. 619-633). Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

Fuertes, M., Sousa, O., Nunes, C. & Lino, D. (2018a). Pais e educadores, dois grupos à parte? Estudos sobre as diferenças interativas entre pais e educadores numa atividade de cooperação adulto-criança. In Heldemerina Pires (Coord.), Psychology in education and health (pp. 48-65). Évora: Universidade de Evora & FCT. ISBN: 978-989-8550-66-8.

Fuertes, M., Sousa, O., Nunes, C. & Lino, D. (2018b). How different are parents and educators? A comparative study about the interactive differences between parents and educators in a collaborative adult-child activity. PLoS One, 13(11): e0205991. doi.org/10.1371/journal.pone.0205991

Gelman, S.A. (2009). Learning from others: children’s construction of concepts. Annual Review of Psychololy, 60, 115–140. doi:59.103006.093659

Goldman, S. R., & Pellegrino, J. W. (2015). Research on Learning and Instruction: Implications for Curriculum, Instruction, and Assessment. Policy Insights from the Behavioral and Brain Sciences, 2(1), 33–41. doi: 10.1177/2372732215601866

Honomichl, R. D., & Chen, Z. (2012). The role of guidance in children’s discovery learning. Wiley Interdisciplinary Reviews: Cognitive Science, 3(6), 615–622. doi: 10.1002/wcs.1199

Konishi, H., Kanero, J., Freeman, M. R., Golinkoff, R., & Hirsh-Pasek, K. (2014). Six Principles of Language Development: Implications for Second Language Learners, Developmental Neuropsychology, 39:5, 404-420. doi:10.1080/87565641.2014.931961

Ladeiras, A., Fernandes, I., Barroso, I. Ferreira, A., Veloso, C., Sousa, O. & Fuertes, M. (2018). Comportamento interativo e comunicativo de crianças em idade pré-escolar com pais e educadores na experiência Tandem . In Fuertes, M., Nunes, C., Lino, D. & Almeida, T. (2018, org.). Teoria, Práticas e Investigação (pp. 356-389). CIED: Escola Superior de Educação de Lisboa. ISBN 978-989-8912-02-2

Ladeiras, A. & Fuertes, M. (2018). Comportamento interativo e comunicativo de crianças em idade pré-escolar com pais e educadores na experiência Tandem. In M. Fuertes, C. Nunes, D. Lino & T. Almeida (Coords) Teoria, Práticas e Investigação em Intervenção Precoce (pp. 356-389). Lisboa: CIED.

Littleton, K., Miell, D., & Faulkner, D. (Eds) (2004). Learning to Collaborate: Collaborating to Learn. New York: Nova Science Pub. Inc.

Martin, C., Ruble, D. & Szkrybalo, J. (2002). Cognitive theories of early gender development. Psychological Bulletin, 128(6), 903-933.

Mayer, R.E. (2004) Should there be a three-strikes rule against pure discovery learning? American Psychologist, 59:14–19.

Montie, J., Z. Xiang and L.Schweinhart (2006). Preschool experience in 10 countries: Cognitive and language performance at age 7. Early Childhood Research Quarterly, 21(3),313-331. doi:10.1016/j.ecresq.2006.07.007

Nelson, K. (1996). Language in cognitive development: the emergence of the mediated mind. Cambridge: Cambridge University Press.

Pinto, F., Sousa, O. & Fuertes, M. (2018). Cartografia da comunicação e dos comportamentos interativos em díades com elevada ou baixa qualidade relacional. In Fuertes, M., Nunes, C., Lino, D. & Almeida, T. (2018, org.). Teoria, Praticas e Investigação (pp.180-211). CIED: Escola Superior de Educação de Lisboa. ISBN 978-989-8912-02-2

Pleck, J. H., & Masciadrelli, B. P. (2004). Paternal Involvement by U.S. Residential Fathers: Levels, Sources, and Consequences. In M. E. Lamb (Ed.), The role of the father in child development (pp. 222-271). Hoboken, NJ, US: John Wiley & Sons Inc.

Rimm-Kaufman, S., La Paro, K., Downer, J., & Pianta, R. (2005). The contribution of classroom setting and quality of instruction to children´s behavior in kindergarten classrooms. The Elementary School Journal, 105, 377-394.

Rogoff, B. (2003). The cultural nature of human development. NI: Oxford University Press.

Rogoff, B., Paradise, R., Mejía Arauz, R., Correa-Chávez, M., & Angelillo, C. (2003). Firsthand learning by intent participation. Annual Review of Psychology, 54, 176-203.

Rohrmann, T. (2016). Men and women as professionals in early childhood education. An issue of inclusion? La nouvelle revue de l'adaptation et de la scolarisation. 73, 201-219.

Roque, J. (2017). Contributo dos modelos pedagógicos na relação da educadora com crianças do jardim de infância em tarefas cooperativas e comunicativas. (Dissertação de mestrado, Escola Superior de Educação de Lisboa, Lisboa). Consultada em http://hdl.handle.net/10400.21/7761

Schweinhart, L. J., Montie, J., Xiang, Z., Barnett, W. S., Belfield, C. R., & Nores, M. (2005). Lifetime effects: The HighScope Perry Preschool study through age 40. Ypsilanti, MI: HighScope Press.

Sharan, S. (1990). Cooperative learning: A perspective on research and practice. In S. Sharan (Ed.), Cooperative learning: Theory and research, (pp. 285-298). New York: Praeger.

Stein, N. & Albro, E. (1997). Building complexity and coherence: children’s use of goal-structured knowledge in telling stories. In Bamberg, M. (Ed.). Narrative development: Six approaches (pp. 5-44). Mahwah, NJ: Lawrence Earlbaum.

Sousa, O. (2015). Textos e contextos. Lisboa: Media XXI.

Siraj-Blatchford, I., Sylva, K., Muttock, S., Gilden, R., & Bell, D. (2002). Researching effective pedagogy in the early years. Department of Educational Studies, University of Oxford. Retrieved from http://www.327matters.org/docs/rr356.pdf

Todorov, T. (1973). Poétique. Paris: Seuil.

Tomasello, M., Kruger, A., & Ratner, H. (1993). Cultural learning. Behavioral and Brain Sciences, 16(3), 495-511. doi:10.1017/S0140525X0003123X

Veloso, C. Barroso, I., Branco, M., Ferreira, A., Fernandes, I., Ladeiras, A., Pinto, F., Brandes, H., Sousa, O. & Fuertes, M. (2018). Estudo sobre as diferenças interativas e comunicativas dos educadores e dos pais com crianças em idade pré-escolar. Revista Da Investigação às Práticas: Estudos Educacionais, 1, 94-116. doi.org/10.25757/invep.v8i1.118

Vygotsky, L. S. (1978). Mind in Society. The development of higher psychological processes Cambridge, Mass.: Harvard University Press.

Webster-Stratton, C. (1999). How to promote children’s social and emotional competence. London: Paul Chapman Publishing Ltd.

Downloads

Publicado

25-09-2019

Como Citar

Veiga, B., Fernandes, I., Sousa, O., & Fuertes, M. (2019). O percurso dos estudos tandem sobre o comportamento interativo e comunicativo de pais e educadores em tarefas colaborativas. Da Investigação às Práticas: Estudos De Natureza Educacional, 9(2), 46–72. https://doi.org/10.25757/invep.v9i2.184

Edição

Secção

Artigos