Documentação e fotografia pedagógica na ação e no desenvolvimento profissional do educador de infância: uma reflexão na senda da supervisão pedagógica

Lídia Freitas, Clara Craveiro

Resumo


O presente artigo tem por objetivo constituir um olhar reflexivo sobre um projeto de investigação que desenvolvemos e em que pretendíamos ampliar a compreensão acerca de como poderá a documentação pedagógica, baseada na fotografia e na reflexão sobre os seus significados, constituir um meio potencializador da ação e do desenvolvimento profissional do educador de infância? Utilizando uma metodologia de investigação qualitativa, desenvolvemos um estudo de caso múltiplo, em que aplicámos as técnicas de análise documental, observação participante, inquérito por entrevista e análise de conteúdo. Neste concluímos que a fotografia pedagógica poderá constituir um meio potencializador da ação pedagógica e do desenvolvimento profissional do educador de infância, dadas as potencialidades encontradas quer para a observação, documentação e divulgação da ação pedagógica, quer para a supervisão, investigação e teorização, as quais são fundamentais para o desenvolvimento profissional.

Texto Completo:

PDF

Referências


Alves-Mazzotti, A. (2006). Usos e abusos dos estudos de caso. Cadernos de Pesquisa. Rio de Janeiro. Universidade Estácio de Sá. 36 (129), Pp.637-651. [Disponível em

http://www.scielo.br/pdf/cp/v36n129/a07361299, consultado em 01/12/2013]

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. Lisboa. Edições 70.

Berger, J. (2013a). Apariencias. In Berger, J. & Mohr, J. (1982) (2013). Otra manera de contar (pp.81-129). Barcelona: Editorial Gustavo Gili.

Berger, J. (2013b). Historias. In Berger, J. & Mohr, J. (1982) (2013). Otra manera de contar (pp.277-289). Barcelona: Editorial Gustavo Gili.

Bogdan, R. & Biklen, S. (1994). Investigação qualitativa em educação. Porto. Porto Editora.

Craveiro, M. (2007). Formação em contexto: um estudo de caso no âmbito da pedagogia da infância. Tese de Doutoramento em Estudos da Criança. Braga. Universidade do Minho.

Day, C. (2001). Desenvolvimento profissional de professores. Os desafios da aprendizagem permanente. Colecção Currículo, Políticas e Práticas. Porto. Porto Editora.

Edwards, C. (1999). Parceiro, promotor do crescimento e guia – os papéis dos professores de Reggio em ação. In Edwards, C., Gandini, l., & Forman, G. (1999a). As cem linguagens da criança. A abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância (pp. 159-176). Porto Alegre. Artmed Editora.

Edwards, C., Gandini, l., & Forman, G. (1999a). As cem linguagens da criança. A abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância. Porto Alegre. Artmed Editora.

Edwards, C. Gandini, L., & Forman, G. (1999b). Aspetos gerais. In Edwards, C., Gandini, l., & Forman, G. (1999a). As cem linguagens da criança. A abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância (pp. 21-35). Porto Alegre. Artmed Editora.

Gouveia, J. (2007). Competências: moda ou inevitabilidade? Saber(e)Educar. Porto. ESE de Paula Frassinetti, 12, pp. 31-58. [Disponível em

http://repositorio.esepf.pt/bitstream/10000/19/2/SeE12CompetenciasGouveia.pdf, consultado em 25/10/2013]

Oliveira-Formosinho, J. (2002). A Supervisão na formação de professores I – da sala à escola. Porto. Porto Editora.

Formosinho, J., Oliveira-Formosinho, J., & Machado, J. (2010). Docência, interacção pessoal e desenvolvimento humano. In Formosinho, j., Machado, J. & Oliveira-Formosinho, J. (2010). Formação, desempenho e avaliação de professores (pp.11-24). Coleção Educação e Formação. Mangualde. Edições Pedago.

LeeKeenan, D. & Nimmo, J. (1999). Conexões – uso da abordagem de projeto com crianças. In Edwards, C., Gandini, l., & Forman, G. (1999a). As cem linguagens da criança. A abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância (pp.253-268). Porto Alegre. Artmed Editora.

Malaguzzi, l. (1999). Histórias, ideias e filosofia básica. In Edwards, C., Gandini, l., & Forman, G. (1999a). As cem linguagens da criança. A abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância (pp. 59-104). Porto Alegre. Artmed Editora.

Martins, G. (2008). Estudo de caso: uma reflexão sobre a aplicabilidade de pesquisas no Brasil. RCO – Revista de Contabilidade e Organizações – FEARP/USP. Universidade de S. Paulo. S. Paulo, 2 (2), pp. 8-18. [Disponível em

http://www.revistas.usp.br/rco/article/viewFile/34702/37440, consultado em 20/06/2013]

Ministério da Educação. (2016). Orientações curriculares para a educação pré-escolar. Lisboa. ME/DGE

Morgado, J. (2012). O estudo de caso na investigação em educação. Coleção Formare – Guias Práticos. Santo Tirso. De Facto Editores.

Rinaldi, C. (1999). O currículo emergente e o construtivismo social. In Edwards, C., Gandini, l., & Forman, G. (1999a). As cem linguagens da criança. A abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância (pp.113-122). Porto Alegre. Artmed Editora.

Sá-Chaves, I. (2002). Práticas de supervisão: Tempo e memórias de formação. Infância e Educação; Investigação e Práticas. Revista de Grupo de Estudos para o Desenvolvimento da Educação de Infância, 4, pp. 70-78.

Schnell, R. (2007). O uso da fotografia em sala de aula. Palmeira: espaço urbano, econômico e sociabilidades – a fotografia como fonte para a história – 1905 a 1970. In O professor PDE e os desafios da escola pública Paranaense [Versão eletrónica]. Cadernos PDE. Paraná. Secretaria da Educação, 1, pp. 1-37. [Disponível em

http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2007_uepg_hist_artigo_rogerio_schnell.pdf, consultado em 08/08/2013]

Sergiovanni, T. (2004). Novos caminhos para a liderança escolar. Porto. Edições Asa.

Silveira, L. (2005). Desenvolvimento humano e desenvolvimento sustentável: o papel da escola no século XXI. Saber(e)Educar. Porto. ESE de Paula Frassinetti, 10, pp.9-28. [Disponível em http://repositorio.esepf.pt/handle/10000/25, consultado em 12/12/2013]

Sontag, S. (2012). Ensaios sobre fotografia. Lisboa. Quetzal Editores.

Tinoco, R. (2004). Histórias de vida: um método qualitativo de investigação. Psicologia.com.pt. O portal dos psicólogos. [Disponível em

http://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0349.pdf, consultado em 09/06/2013]

Vieira, F. (2009) Para uma visão transformadora da supervisão pedagógica. Revista Educação e Sociedade. Campinas, 29 (105), pp. 197-217. [Disponível em http://www.scielo.br/pdf/es/v30n106/v30n106a10.pdf , consultado em 28/12/2013]

Vecchi, V. (1999). O papel do atelierista. In Edwards, C., Gandini, l., & Forman, G. (1999a). As cem linguagens da criança. A abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância (pp.129-135). Porto Alegre. Artmed Editora.




DOI: http://dx.doi.org/10.25757/invep.v8i2.139

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2018 Da Investigação às Práticas: Estudos de Natureza Educacional

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.